Friday, December 30, 2011

Acabar o ano em velocidade :p

  Hoje foi dia de ir à pista, uma raridade que os atletas do professor Daniel Pó não conhecem com muita frequência... mas ainda bem que é assim, primeiro corre-se no duro para depois correr na pista parecer fácil. Mas também não foi por acaso que fomos neste dia, o professor programou um teste para este dia, o teste do Conconi, para quem não sabe no que consiste este teste passo a explicar: O Conconi funciona como um teste de esforço, em que se vai aumentando progressivamente a velocidade entre cones (neste caso a cada 200 metros), de modo a observar-se a evolução dos batimentos cardíacos e assim determinar o ritmo a que se podia  correr distâncias mais longas confortavelmente.
  Hoje só pudemos ir 3 dos Ghosts, e ainda por cima desfalcados por uma semana de maleitas e dureza...mas mesmo assim todos cumprimos os nossos objetivos, mas confesso que para mim foi uma agradável surpresa, aqui fica o meu registo:
200 m: 46 s (3'50)
400 m: 45 s (3'45)
600 m: 41 s (3'25)
800 m: 40 s (3'20)
1000 m: 39 s (3'15)
1200 m: 38 s (3'10)
1400 m: 37 s (3'05)
1600 m: 36 s (3'00)
1800 m: 34 s (2'50)
2000 m: 33 s (2'45)
2200 m: 32 s (2'40)

 Com isto tudo deu-me na zona dos 2'50, à volta do que eu previa...nada mau mas ainda é cedo para fazer avaliações mais aprofundadas, por enquanto o objectivo foi cumprido.
  Porém isto ainda não era suficiente e para descontrair fizemos 6 x 300, com 2' de intervalo a trote, aqui ficam os tempos:
-42'60
-45'60
-45'00
-44'70
-46'80
-44'70

 Já deu para aquecer e para meter alguma velocidade :P Há que acabar o ano em grande e com velocidade..FELIZ ANO NOVO!!!



Orientistas,
LS

Wednesday, December 28, 2011

What is past stays behind us..

   2011 veio e está a findar como todos os anos, e esta é uma altura em que dou por mim a refletir sobre tudo o que fiz e não fiz este ano. Há quem ache que a vida tem arrependimentos e erros que devem ser erradicados da memória simplesmente pela dor que nos causam...mas para mim apesar de já ter errado, tudo o que fiz, todas as opções que tomei definiram-me como sou hoje e por isso orgulho-me da vida que escolhi e daquilo.  E como tal uma das coisas que mais tenho orgulho é gostar de desporto e mais ainda de ter podido praticá-lo estes anos todos sem grandes complicações e tudo o que acertei ou errei foram lições bem tiradas e assim de erro em erro, ou vitória em vitória todos nós podemos evoluir e tornarmo-nos pessoas melhores. : )
   Depois de tudo o que havia conseguido em 2010, na minha época de juvenil de 1º ano e com todo o trabalho mal feito que havia realizado, achava que 2011 iria ser um ano de feitos ainda melhores desde que treinasse a 100%  e o mais duro que pudesse. E assim treinei toda a época cometendo excessos a torto e a direito, nunca fazendo uma prova em que não estivesse em carga ou em carga e nunca descansando corretamente, tudo isto se revelou mais tarde quando eu  precisei de estar em forma e não estive...e no entanto nestas condições obtive um 2º lugar no campeonato do mundo, 16º lugar no sprint do Eyoc, melhorei marca aos 1000 metros, fiz 9'26 aos 3000 numa corrida em que fui sozinho da 1º à última volta depois de 3 provas em cima (incluindo um treino) e ainda uma semana de carga brutal, um 9º lugar no campeonato nacional de mega km com recorde pessoal de 2'42 e ainda um 17º lugar no campeonato nacional de corta-mato no fim de semana a seguir ao Portugal O'meeting que acabou por ser o meu descanso...não vou chamar a isto resultados excelentes, mas tudo o que sinto é que poderia ter feito bem mais. Por isso acho que foi o melhor ano que já tive, não pelo sucesso, mas por estes falhanços me terem possibilitado crescer como pessoa e atleta...foi o ano em que aprendi mais, sobre as mais variadas coisas e se hoje olho para trás sinto uma sensação de alegria porque consigo admitir o que fiz como erro e estou disposto a melhorar.
   Quanto a 2012, não sei o que me reserva, mas as minhas sensações são boas, tudo tem corrido tão bem que acho que nada se vai intrometer no caminho e o que bastou para isso? Fazer as coisas bem, involuntariamente tornei a época passada uma preparação para esta, e este ano acho que posso realizar alguns dos meus maiores sonhos desde que entrei nesta modalidade!


Feliz ano novo 2012!!!



Orientistas,
LS
 

Sunday, December 25, 2011

O eterno jogo de opiniões

   Falar ou não falar é um dilema que todos nós temos. Participar ativamente na modalidade e mostrar as nossas opiniões é algo muito bonito de se fazer, mas temos de saber como fazê-lo e pensar em todas as contrapartidas...não podemos agradar a gregos e a troianos e por vezes coisas que pensamos ser inofensivas causam mais impacto do que aquilo que esperávamos.
   Já tenho idade suficiente para saber arcar com as a responsabilidade daquilo que digo e que penso, e se erro também o devo saber reconhecer, sou apanhado em teias e influenciado por opiniões mas creio que ninguém é imune a isso. Não é muito claro aquilo que estou a dizer, mas espero que seja entendido para quem eu  me dirijo...não esperava ofender a nossa direção com os meus comentários e desonrar o trabalho das pessoas que trabalham para nós a troco de nada, só procuram fazer o vosso trabalho com os meios que possuem. É o problema das influências que somos vitimas, no entanto deixo uma última crítica que custe o que custar vou fazer valer:
   Nós, os atletas não esperamos luxos ou coisas impossíveis da direção, e não duvidamos que o trabalho que aí é feito não seja em prole das seleções e não traga muitas dores de cabeça, no entanto não consigo deixar de culpar a desinformação que somos alvo e que pior do que saber que não temos o desejável é não sabermos nada! e nós treinamos como nunca para poder honrar o trabalho que ai é feito e dar resultados para que a modalidade cresça, é apenas o nosso trabalho e só esperamos que a federação seja sincera conosco.
   Mais uma vez um pedido de desculpas sincero a todas os homens e mulheres que ofendi com os meus comentário inadvertidos, mas não era essa a minha intenção e acreditem que estou grato por todo o trabalho que fazem para nós, mas se querem esse reconhecimento, divulguem isso e não deixem que ideias erradas sejam criadas.
   Um feliz natal a todos e um excelente ano novo mais uma vez! Que o próximo ano seja cheio de felicidades e conquistas para todos.



Orientistas,
LS

Friday, December 23, 2011

O que nos trará o futuro?

   Em 2009 vivia-se tempos de mudança, mesmo quando eu começara a treinar foi tomada a decisão de se criar um grupo de seleção que teria acesso a estágios realizados periodicamente pela federação. Todo este trabalho era encabeçado e levado a cabo pelo Tiago Aires, cujo objectivo era de uma vez por todas lançar Portugal num plano internacional e fazer a modalidade crescer no país, e desde de cedo que o Tiago separou a seleção jovem da seleção sênior e ocupou-se da formação dos jovens atletas que demonstravam valor e ambição e dispôs-se a ajudá-los a lutar por bons resultados nos campeonatos da Europa e campeonatos do mundo . 
   Tarefa impossível diriam alguns...mas nem isso demoveu o Tiago e no meio de espinhos lá se encaixou o lema "Crescer como grupo", coisa que não foi aceite por todos do mesmo modo, muitos de nós ainda viviam a antiga mentalidade portuguesa e pensar em pódios em Eyoc era algo que só podia ser sonhado. No entanto o Tiago Aires nunca desistiu e com os seus discursos sempre tentou quebrar a barreira de gelo que existia nas nossas cabeças, ele realmente possuía o talento de nos motivar e viu uma excelente oportunidade no Eyoc que se realizaria no ano seguinte em Espanha (2010). Programou um estágio nos terrenos em que seriam disputadas as provas e mal ou bem ao longo desse ano foram realizados estágios e treinos, cujo o lema de "Crescer como grupo" era constantemente repetido por ele e já por alguns atletas de opinião mais aberta, e como tal no último estágio da época, cujo recordo-me bem, ele soube fazer o "clique" nas nossas cabeças e de repente apercebemo-nos que o Europeu estava à porta, e se eu tinha o objectivo de um pódio na distância longa, era culpa parcial do Tiago e recordo-me bem aquando a prova do GDC4 caminhos no Crato, em que fiz uma excelente prova na distância média e admiti que queria nesse ano ser campeão da Europa de distância longa, e o 1º a dar-me os parabéns foi precisamente o Tiago. 
   Como ele tinha previsto, esse Eyoc representou os melhores resultados de sempre da seleção nacional em campeonatos internacionais, ainda hoje consigo recordar os momentos de emoção vividos por todos nós naquelas arenas e a nossa atitude exemplar em tudo, momento que talvez nunca vá esquecer e que me marcaram como pessoa e como atleta que sou hoje, esperava-se que após este êxito, finalmente a atitude da modalidade em geral mudasse, mas infelizmente tudo permaneceu igual e aliás ainda piorou mais com a entrada de um novo presidente e como tal foi tardiamente que a nossa preparação começou,  o que se revelou no desastre que foram o Eyoc e Jwoc deste ano...e mais uma vez ficou a sensação do "podia ter sido" mas a verdade é que nunca foi. 
   Este ano seguimos o mesmo caminho, sem destino...apesar de os planos dos estágios já terem sido preparados há muito tempo, a inatividade da federação ainda não permitiu que nada fosse decidido e se no inicio não havia atitude e havia estágios agora é exatamente o contrário, há uma série de jovens que treinam diariamente a pensar nos seus objetivos a longo prazo e a comportar-se como verdadeiros atletas que ambicionam mais e mais alto e qual é a nossa recompensa? Incerteza, perdemos o nosso melhor professor e mal sabemos onde isto irá parar. Confesso que para mim é triste ter de escrever isto, mas os meus olhos não vêm outra verdade e apesar de a minha confiança e motivação serem inabaláveis, não vejo um futuro risonho para quem quiser tornar-se atleta de palcos mundiais no nosso país...é triste que assim seja, porque todos nós temos tanto para dar mas vemos tão pouco para receber.
    É assim que termino mais um ano da minha vida com este post, e me preparo para entrar em 2012, novo ano onde espero levar a cabo tudo aquilo que desejei e se tudo correr bem daqui a 6 meses festejar juntamente com os meus amigos :D Um feliz natal e um próspero ano novo a todos os orientistas e tenho a certeza que nos veremos nalguma floresta por aí!



Orientistas,
LS

Thursday, December 22, 2011

Go hard or go home my friend ;D

   Férias para mim significam apenas que não tenho aulas, porque em termos de treino é quando aproveito para treinar mais duro, e como tal esta semana participei em mais uma edição do orijúnior, na Marinha Grande.. Receita?: 3 x por dia e nunca vacilar.
   Apesar de já conhecer bem os mapas que usámos, confesso que nunca me deixo de surpreender pelo desafio que todos os treinos me proporcionaram, e não podia ter pedido melhor: curvas de nível, janelas, círculos,  noturnas e estafeta foram alguns do treinos que realizámos e todos de grande qualidade, como já é costume dos treinos elaborados pelo Tiago Aires. Acerca das minhas performances, sinto-me tranquilo pelos treinos que fiz, não por serem isentos de erros, mas porque senti melhoras em alguns aspectos e hoje na estafeta consegui realizar um treino limpo e a grande ritmo, tendo sido o único que realizei realmente a sério. Acho que finalmente assimilei alguns princípios básicos e cada vez tenho mais vontade de aprender e evoluir, porque é gratificante ver o nível que já consigo atingir e isso é um sinal de que tenho trabalhado bem...por outro lado sinto-me mais seguro de mim e isso tem sido um bom modo de afastar ansiedades e nervosismos antes de começar a prova, enfim a evolução segue como prevista e o melhor tudo é que ainda posso melhorar ainda mais.
   De resto, a companhia de um finlandês, o Aapo, proporcionou-me um excelente modo de aprender a mentalidade nórdica e o treino das opções longas que realizei em conjunto com ele foi um excelente exemplo disso...pior mesmo foi o facto de me ter magoado na perna, o que me impossibilitou de realizar um treino, e me deixou algo preocupado com a perspectiva de uma lesão nesta altura do campeonato, felizmente a dor amainou, mas não vou forçar mais e amanhã vou aproveitar para descansar o dia inteiro, apesar de tudo o cansaço dos treinos é minimo e sinto-me forte, o que se revela uma boa noticia  para o que aí vem, vê-se logo que é genético xD (3-0, vai buscar). Queria falar por último da saída do Tiago Aires das seleções jovens, apesar de achar que às vezes o Tiago não tem as melhores atitudes com os atletas, e eu já senti isso na pele e ainda hoje sinto, sei admitir que ele é um excelente professor, e se hoje sei alguma coisa sobre curvas de nível foi porque ele me ensinou, a mim e aos demais atletas da minha camada etária, ele de facto possuía um talento natural para o ensino e foi o principal motor que fez arrancar a modalidade e nos deu alguma mentalidade e vontade de acreditar em resultados melhores. Não tenho tanta pena de mim, mas sim das camadas mais jovens que estão agora a iniciar-se na orientação e que não irão poder desfrutar dos mesmos ensinamentos  que eu usufrui...é mais uma chapada na cara da federação que perde assim uma figura importante, esperemos que isto sirva de lição e que o Hélder e o Norman possam ter as condições que o Tiago tanto pediu mas que nunca lhe deram.´




Orientistas,
LS

Sunday, December 18, 2011

Objetivos = metas (In) alcançáveis?

   Atleta não o é sem objetivo e se treinamos com algum plano será com o intuito de se chegar a algum lado. Os objetivos podem ter diferentes pesos e significados consoante a pessoa que os define, há para todos os gostos e feitios, desde quem quer conquistar 25 pódios (toma mais outra xD) a quem quer pódios em campeonatos do mundo. Mas fica sempre uma questão, afinal o que define a essência de um objetivo? Creio que até nesta questão tão subjectiva sou capaz de definir alguns pontos gerais:

-1º Um objetivo deve ser algo a longo prazo, algo que justifique uma época de treino e para onde apontamos todas as nossas armas para estar na melhor forma possível na altura e não algo que se resume a ganhar a próxima prova do calendário, é necessário justificar o treino e saber que tudo que tá para além disso deve ser encarado como preparação.

-2º Ligado ao primeiro aspecto ainda, surge a grandeza do objetivo, quão grande deve ser o objectivo? Não existe uma medida padrão, por isso o objetivo deve ser algo que ultrapasse tudo o que já conseguimos alguma vez fazer, ou seja exija o máximo de nós.

-3º Pode surgir ainda mais ligada aos dois primeiros pontos outro aspecto, o objetivo é viável? Claro que eu sendo júnior, não devo ambicionar ser campeão do mundo de Seniores, por isso o objectivo deve ser algo difícil sim, mas sempre dentro da nossa linha de capacidades, em suma: "Transcender com moderação",

-4º Por último, querem cumprir o objetivo? então o melhor a fazer é esquecer momentos de forma para as provas menos importantes, é necessário cumprir todo o treino proposto e dar no duro quando ainda é tempo, para que se chegue à altura com as baterias carregadas e no máximo. Atitude, perseverança e sobretudo acreditar, é tudo condições que têm de ser reunidas para chegar ao momento e não falhar. Às vezes vai parecer complicado, mas acima de tudo não vale desistir!


 Tudo isto porque quero apresentar os meus objetivos máximos da época e lá, se tudo correr bem, acredito que vou chegar:

Principal:
-EYOC (títulos Europeus)

Secundários:
-JWOC (melhorar resultados e fazer uma excelente estafeta)
-Correr que nem um bicho (2'35, 4'05, 8'50)

Os filandeses até se passaram hoje! Dá-lhe puto ;)


Orientistas,
LS

Saturday, December 17, 2011

ADFA Ghosts, um grupo bem unido.

   Todos nós como bons egoístas que somos, adoramos treinar sozinhos e esconder o nosso treino de outros rivais, para não sermos alvos de "espionagem" (toparam-me esta? xD), porque achamos que assim é que vamos ser campeões perfeitamente sozinhos sem a ajuda de ninguém. Ora eu digo: Ideias de arrogantes, antes de mais não tenho grande moral para falar visto que já utilizei esta "grande táctica" e ainda a defendo por vezes, mas felizmente descobri o que é ter um grupo.
    Há anos que o professor Daniel procura estimular que os seus atletas treinem juntos, mas isto nunca se concretizou...tal coisa revelou-se sempre impossível pelas mais diversas razões, ou por falta de tempo, ou por distância uns dos outros ou simplesmente por rivalidade. Mas quando deixamos de nos preocupar, isso aconteceu naturalmente, e hoje possuímos um grupo forte, não pelos seus atletas serem exímios mas pela força que transmitimos uns aos outros. O mais difícil é sempre ultrapassar as rivalidades pessoais e competitivas, principalmente quando temos idades tão próximas...e acho que isso se torna impossível de se ultrapassar completamente, porque todos temos ambições idênticas e o objectivo de ser melhor que os nossos adversários, mas há uma forma muito simples de ultrapassar isso, o grupo de treino não necessita de ser homogéneo, nem o deve ser, aliás o desejável é existir um representante de diversas camadas, e quero dizer com isto que todos nós devemos possuir o nosso próprio valor que podemos ensinar ao outro.
     Parece fácil dito assim, mas na prática é muito mais complicado e ainda existem atritos, e isto de nos abrirmos aos adversários pode ser uma ideia terrível para alguns, mas de facto conseguimos, e todos os treinos que fazemos juntos apoiamo-nos mutuamente, falamos e todos sentimos a motivação do próximo que nos auxilia a criar a nossa própria motivação. Até mesmo o membro mais fraco ou mais novo se sente integrado e aprende com os mais velhos, e isso tem um valor inimaginável que nem eu consigo explicar bem, confesso que mesmo sendo o mais velho tudo se tem tornado mais simples por treinar em grupo, porque posso sentir in loco o apoio sincero que me é transmitido. O facto é que podemos não ter tantos estágios, nem tantas condições como alguns clubes possuem e têm-se esforçado tanto por mostrar, mas o que é certo para nós é que de dia para dia fazemos treinos impossíveis, e falamos de coisas impossíveis que esperamos fazer e o que é certo é que não nos temos desiludido, temos um treinador brilhante e uma união que nos tem levado a patamares mais altos..um grupo vale por um, e isto é uma lição importante que ensinamos a muitos atletas.
   Pode ser que um dia mostremos o valor prático disto, pois nós temos os nossos objetivos e iremos concretizá-los, para já vem o orijúnior, uma semana de treinos técnicos que iremos utilizar para manter a rotina e entrar bem na época, próximo objectivo: POM e será aí a nossa 1ª verdadeira demonstração de força. Tem sido umas das alturas mais complicadas do treino e se não fosse por causa do apoio mútuo nunca iriamos ultrapassar isto, e felizmente resultados já estão a aparecer, resta apenas continuar!



Orientistas,
LS

Monday, December 12, 2011

Dureza é o que se pede.

    Já lá vão 4 meses de treino, e agora aproxima-se o final do ano a passos largos, e é altura de avaliar o que foi feito nestes últimos tempos:

- Pela primeira vez esta altura não é sobrecarregada de provas de orientação, o que me permitiu dar uma atenção mais cuidada ao treino físico, e não me saturar numa fase tão primária. Apesar de ter tido algumas provas como o absoluto, e outras regionais, não me sinto cansado como em anos anteriores o que por si só é já um excelente indicador.

-Em relação ao treino físico, foi divido por fase, uma primeira de treino básico, seguida de um período pré-absoluto em que realizei algum trabalho de velocidade mas continuando a colocar algum volume. Ultrapassado esse primeiro objectivo era tempo de carregar, e durante 1 mês tivemos um treino muito intenso cheio de treinos pesados e intensos, mas para minha surpresa, voltei a uma fase de volume onde já coloco cargas de corrida não tão intensas mas mais extensivas. Pontos positivos deste treino? encontro-me forte, e nada cansado, apesar de não ter feito o treino na perfeição, sinto que houve um grande melhoramento, e ainda o facto de não ter dado grande importância ao andamento como dei o ano passado, este apareceu naturalmente.

-Treinos técnicos são importantes para manter a rotina, e como tal vamos realizando algumas provitas como este fim-de-semana onde estivemos a testas os mapas da prova de Arronches. Bons terrenos, rápidos mas até desafiantes, realizei uma prova de distância longa de 12,7 km em cerca de 1'07...nada mau, e fiquei particularmente contente pela facilidade de leitura do mapa e por já me ter adaptado à distância longa.



   Enfim, uma fase já lá vai, outra fase espera-me cheia de competições importantes onde vou ter de provar o meu melhor e não vacilar perante as adversidades. Por enquanto tudo corre bem e para a semana teremos a companhia de uns atletas finlandeses que vêm participar no orijúnior e ficarão aqui nesta zona a treinar conosco, num período que o professor Daniel descreve como "duro" espero bem que sim, porque já está na altura de dar algum estímulo ao corpo, preciso de crescer mentalmente.
  Eyoc e Jwoc ainda não sei o que pensar...temos recebido pouco feedback em relação à seleção e aos estágios, acho que já estava na altura de conhecer esse plano, mas pronto não há-de ser nada.



Orientistas,
LS

Monday, December 5, 2011

What ever happened to Daniel Komen?

   Aqui fica um texto biográfico que encontrei na internet sobre um dos maiores atletas que jamais existiu, e que ainda hoje é o único homem a conseguir correr duas milhas seguidas em menos de 4'00 minutos. Daniel Komen tal como apareceu praticamente do nada assim o desapareceu, mas nos seus anos de ouro (1996 a 1998) ele estabeleceu marcas impressionantes num leque de distâncias dos 1500 aos 5000 metros, mas ele é bem mais conhecido pelo seu recorde aos 3000 metros de 7'20...a uma impressionante média de 2'26 por km. Aqui fica o link para quem quiser ler:

http://running.competitor.com/2011/05/features/what-ever-happened-to-daniel-komen_27486





Orientistas,
LS


"In 

Sunday, December 4, 2011

Há malucos para tudo...

    Este fim de semana realizou-se em Coruche a última prova a contar para a taça, e também a última oportunidade de passar o meu colega Rafael Miguel no ranking nacional de júniores...mas nesse dia também havia um corta-mato na parte da tarde, em Portel a abrir o troféu anual do critério Paulo Guerra. Ora como queria participar na prova para tentar passá-lo no ranking e também queria vingar-me da desistência na Amora, acabei por querer participar me ambas, mesmo sabendo que teria apenas 2 horas e meia de intervalo entre uma prova longa e dura e o corta-mato de 6 km.
    Começando pelo relato da prova, posso dizer que constituiu um bom treino de distância longa, um tanto ou quanto secante, mas acho que foi feito um bom aproveitamento do mapa, 11.1 km (linha recta) que se traduziram à volta de 13 km na realidade, chegaram para me deixar bem cansado. Acabei por fazer uma boa prova a meu ver, realizando o tempo de 1 hora e 9 minutos, deixando o 2º e 3º a 5 min o que chegou para ganhar o ranking (apesar de não estar certo se aquilo estar realmente certo) e para me fazer arrepender da decisão do corta-mato. Mas como já tinha decidido agora não ia voltar atrás, e com mais uns colegas, lá formos "tentar" fazer os 6 km, chegámos em cima da hora do corta-mato, e quase nem aquecemos, quando ouvi o tiro de partida tentei relaxar o máximo que consegui para aguentar tudo, mas tornou-se impossível e 3'09 no 1º km deixou-me mal, mesmo assim ainda me forcei a aguentar até aos 4 km, onde parei totalmente morto, com as pernas a parecer chumbo.
     Uma parvoiçe? Acho que não, de vez em quando é bom vermos até onde o corpo chega, e também não ia perder nem ganhar nada em participar nas 2...para a semana começa uma nova fase de treino, e hoje já fiz um belo treininho de rampas com os meus companheiros de treino, o que já deu para aquecer para a semana que aí vem xD ah e uma referência especial aos ADFA ghosts, companheiros de armas que travam guerra após guerra sempre em grupo, anunciamos ainda a entrada de um novo membro brevemente ...;-)
   


Orientistas,
LS
 

Thursday, December 1, 2011

Recordeee xD

    Todas as semanas costumamos fazer um treino de corrida continua onde terminamos com os ultimos 5 min rápidos, e quando digo rápidos é o mais rápido que der, isto sempre possibilitou uma espécie de competição entre nós todos para ver quem conseguia ir mais rápido. Na 1ª fase de treino o tempo de corrida continua era de apenas 30 min, o que dava maior margem para a evolução e nas 5 semanas evolui sempre 1 ou 2 segundos na média, deixando o meu recorde em 2'58 de média...mas a coisa ficou negra quando esses 5 min passaram a ser no final de 1 hora de corrida...tanto que as minhas médias variaram ali em 3'05, também dependendo muito da intensidade com que tinha feito o resto.
     Ora esta semana é para descansar e iniciar outra fase do treino, e ontem foram apenas 45 min de corrida e consegui bater o meu recorde xD, 2'57...com passagem ao km de 2'54 e os restantes 690 metros a 3'02, foi bom...apesar de fazer esta corrida meio a seco, já aguento mais de metade da distância que teria de aguentar em 3000 :P


30 de Nov:   40 min CCM + 5 min CCR         KM: 10.44      Bpm: 155

5 min: 1690 metros - 2'57 - 183 bpm



Orientistas,
LS