Friday, May 8, 2015

Tempore omnia vulnera sanabuntur

          O tempo não volta atrás. E uma verdade que me custa admitir a vários níveis. Deparo me com a irreversibilidade do tempo seja em problemas da fisica, seja da filosofia. É uma linha rígida que nós -humanos- jamais iremos controlar mas iremos sempre ambicionar. Eu não fujo a essa regra. Sou um indivíduo feliz com as escolhas que fiz, o caminho que segui, a vida que tenho e terei (se for possivel). No entanto, na obscuridade do meu pensamento vivem as pequenas questões e mágoas daquilo que não fui capaz de controlar e mudar. Essas memórias não desvanescem nunca e embora camufladas regressam sempre naqueles dias mais inesperados. Não há forma de os evitar, há forma de os engolir e num momento mais íntimo verter umas lágrimas mas a seguir é seguir e não olhar para trás. É uma tolisse pretender que alguma coisa possa ser diferente daquilo que foi. É egoísmo descarado sentir tristeza mas também é inevitável.

         Jamais esquecerei que durante 8 anos fui realmente bom num desporto que ainda hoje teimo em não separar me. Ao longo desses 8 anos existiram momentos de felicidade extrema, momentos de intensidade tão grande que sentia a realidade ao pormenor. Há quem nasça para certas coisas e seja inato o seu conhecimento. Orientação sempre foi algo inato para mim, possuo uma visão muito própria que jamais poderei transmitir ou ensinar. No fundo do meu pensamento vivem as falhas que cometi e que nunca poderei fazer nada para mudar isso. Nunca outro ser humano terá a capacidade de entender ou compreender o que eu sinto em relação a isso. Tudo isso somado provocou a derrocada desse mundo e aversão a esse instinto natural. No fim restam as lembranças.

No comments:

Post a Comment